Dança Cigana

A Dança Cigana trabalha a coordenação motora, agilidade e ritmo, desenvolve a musculatura corporal de forma integrada e natural. Permite uma melhora na auto-estima tanto feminina como masculina e quebra de diversos bloqueios psicológicos, também possibilita o convívio e aumento das relações sociais.

Com sua música e cultura desperta a força e o poder pessoal. Não há limite de idade para praticar a dança, pois como dizem os ciganos “Não há idade para ser feliz”. O Povo Cigano utiliza a música como uma forma de se aproximar de Deus, por isso, quando estão tristes ou alegres, recorrem à magia da dança para harmonizarem suas vibrações.

Na Dança Cigana, comungam com a natureza. Ciganos, para facilitar a interação Terra/Céu, dançam descalços. Há uma variedade de danças: do lenço, do punhal, da fogueira etc. O que se pode verificar, porém, é que a cigana, embora tenha movimentos aparentemente sensuais, ela é pudica, e jamais veremos além de seus tornozelos nos seus rodopios e meneios. Para evitar acidentes durante o bailado e coreografias, as ciganas usam sobre-saias até em número de sete. Daí, ciganas estereotipadas como as das novelas e filmes nada têm a ver com a realidade.

Na Dança Cigana, o cigano procura desenvolver uma relação telúrica, conectar-se com a natureza e deixar fluir para a superfície física do ser, todos os sentimentos mais íntimos. Assim, nota-se perfeitamente o sinal de êxtase de uma cigana ao rodopiar e fazer seus movimentos gentis, ao sacudir seu pandeiro ou ao som do atrito das castanholas.

Para o cigano, dançar é celebrar a vida, a existência e se ligar a Deus.

Confira os dias das aulas:
Turma: segundas-feiras das 19h30 às 21h00
Professora: Tatiane Tortosa

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.